CARTA: A nação precisa chegar a um compromisso sobre uma política de imigração razoável

 (Foto AP / Jacquelyn Martin, Arquivo) (Foto AP / Jacquelyn Martin, Arquivo)

Num especial recente da CNN, Fareed Zakaria abordou a crise da imigração, enfatizando a escassez de imigrantes e não o excesso. Com os Estados Unidos a enfrentar uma taxa de natalidade recorde, não há pessoas suficientes para preencher empregos, o que é uma das principais razões para a desaceleração da economia e a inflação. Em vez de ver a imigração como uma ameaça, ele enfatiza-a como uma oportunidade única.



A situação apresenta três opções viáveis: aumentar as taxas de natalidade dos nativos, acolher mais imigrantes ou enfrentar um declínio até à irrelevância. Infelizmente, o país parece estar inclinado para a última opção, escolhendo a estagnação em vez do progresso.



Zakaria também sublinha o significado histórico da imigração, citando o seu papel em tornar os Estados Unidos o país mais rico, mais poderoso e dinâmico do mundo. Os imigrantes, como demonstrado por estudos, provaram ser empreendedores excepcionais, com mais de 40 por cento das empresas Fortune 500 tendo sido fundadas por imigrantes ou seus descendentes (como Tesla, Apple, Amazon e Ford). A chave, sugere Zakaria, é priorizar indivíduos que possuam as habilidades necessárias para preencher vagas de emprego em vários setores, contribuindo para a realização do sonho americano.



Sei que existem preocupações relativamente às ameaças à segurança, à diluição da identidade americana e aos desafios logísticos de processar mais pessoas. No entanto, estas questões podem ser geridas de forma eficaz através do estabelecimento de um sistema de imigração bem estruturado que aborde estas preocupações de frente. Ao fazê-lo, os Estados Unidos podem navegar pelas complexidades da imigração, ao mesmo tempo que capitalizam as oportunidades que esta traz, garantindo um futuro vibrante e próspero.