CARTA: Jack Smith está apenas fazendo seu trabalho

 (Imagens Getty) (Imagens Getty)

Li a coluna ridícula de Rich Lowry argumentando que Jack Smith está orquestrando uma sinfonia de interferência eleitoral de uma só pessoa e deveria, consequentemente, ser desqualificado para processar Donald Trump. (Edição eletrônica de sexta-feira). Agora, embora as teorias da conspiração possam ser divertidas, vamos trazer um toque de realidade para a mesa.



Primeiro, acusar Smith de interferência eleitoral parece uma reviravolta na história digna de um filme de grande sucesso – emocionante, mas totalmente infundada. Não esqueçamos que afirmações absurdas sem qualquer base factual podem ser comparadas à crença em unicórnios (ou a muitas das afirmações distorcidas do Sr. Trump). Eles podem gerar histórias interessantes, mas não se sustentam no mundo real.



Passando à saga de Trump e à alegada corda bamba legal em que ele andou, é crucial reconhecer que ninguém, nem mesmo um ex-presidente, está acima da lei. Se Trump realmente violou a lei várias vezes, deixe o sistema jurídico desvendar as intrincadas camadas desse mistério. O devido processo não é apenas uma palavra da moda. É a espinha dorsal de uma sociedade justa e justa.



Durante o segundo impeachment de Trump, seus advogados jogaram a carta “os tribunais são o lugar para estar”. É quase poético como eles defenderam as mesmas instituições que esperavam evitar. Bravo! Vamos honrar esse sentimento e deixar que o palco jurídico seja o juiz e o júri.

Agora, a ideia do Sr. Trump atrás das grades é vívida, não é? Se for considerado culpado, é justo que ele enfrente as consequências. Mas não vamos nos precipitar – os tribunais, e não os teclados, são onde a culpa ou a inocência são determinadas. Então pegue um pouco de pipoca, sente-se e deixe o drama jurídico se desenrolar.



Por último, no que diz respeito à sanidade e ao voto no Sr. Trump, as opiniões são como escolhas de emojis – cada um tem o seu favorito. A democracia prospera em diversas perspectivas e, embora alguns possam questionar as escolhas de outros, lembremo-nos de que o diálogo respeitoso é a chave para a compreensão, e não para xingamentos.

Concluindo, vamos apimentar nossas discussões com uma pitada de realidade e uma pitada de humor. Afirmações infundadas podem gerar fofocas interessantes, mas dificilmente são os ingredientes para um debate racional.