O Sindicato da Polícia de Nevada diz que o estado 'não tem planos para manter os policiais seguros'

(Site do Sindicato da Polícia de Nevada)(Site do Sindicato da Polícia de Nevada)

Quase dois meses após o primeiro caso de coronavírus relatado em Nevada, o Departamento de Segurança Pública do estado não possui um plano para manter os oficiais seguros ou um protocolo estabelecido no caso de um surto entre seus oficiais de paz, o Las Vegas Review-Journal aprendeu.

As supostas condições de trabalho dentro do departamento - que supervisiona a patrulha rodoviária de Nevada, a divisão de liberdade condicional e condicional do estado e a polícia do Capitólio de Nevada - foram detalhadas em uma queixa de seis páginas apresentada na quinta-feira pelo Sindicato da Polícia de Nevada com a agência estatal de Relações Funcionários-Administração Borda.



Atualmente, os policiais e os membros do NPU estão em perigo porque o Departamento de Segurança Pública de Nevada não os protegeu e não negociou com o NPU, afirma a denúncia. Não há um plano coerente e não há consistência no fornecimento de treinamento aos membros da NPU. Não há nenhum plano para manter os oficiais seguros.



Na terça-feira, 17 policiais em todo o estado do Departamento de Segurança Pública foram testados para COVID-19, quatro dos quais deram positivo. Dois dos policiais infectados foram expostos em ambientes não relacionados ao trabalho, de acordo com o departamento. Nove dos testes deram negativos e os resultados dos testes restantes estão pendentes.

Mais dezesseis policiais, que não foram testados para o vírus, isolaram-se em casa após uma potencial exposição, disse o departamento.



Em uma declaração na terça-feira, o departamento disse ao Review-Journal: O Departamento de Segurança Pública de Nevada discorda veementemente das alegações propostas na queixa. O Departamento prioriza a segurança e o bem-estar de todos os colaboradores. O Departamento e suas Divisões comunicaram e forneceram orientações a todos os funcionários desde o início do ambiente muito fluido e mutante do COVID-19 e continuam a se comunicar com todos os funcionários para fornecer atualizações, orientações, procedimentos, orientações e EPI apropriados.

Mas, de acordo com Paul Klein, porta-voz e lobista do sindicato, a reclamação foi iniciada depois de pelo menos duas tentativas fracassadas do sindicato, anteriormente a Associação de Patrulha Rodoviária de Nevada, de negociar com a vice-diretora do departamento, Sheri Brueggemann, por condições de trabalho mais seguras .

A segurança dos membros é a principal prioridade do Sindicato da Polícia de Nevada, e é por isso que uma queixa formal foi registrada, disse Klein ao Review-Journal na segunda-feira. Em última análise, o sindicato está pedindo comunicação, protocolos de pandemia e acesso a recursos para que possam manter os policiais seguros enquanto estão na linha de frente, mantendo o público seguro.



Klein disse que, à medida que o vírus se espalhava pelo estado, os policiais expressaram preocupações ao sindicato sobre a falta de protocolos para evitar a exposição durante o serviço. De acordo com a reclamação, o departamento não forneceu equipamento de proteção individual ou desinfetante para as mãos e não implementou políticas que se alinham com as diretrizes de segurança COVID-19 recomendadas pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, como exigir que os funcionários usem máscaras quando em contato com colegas de trabalho e o público.

Várias tentativas foram feitas para compartilhar essas preocupações com os diretores de departamento e colaborar nas soluções, mas elas foram ignoradas, disse Klein.

Os esforços do sindicato para resolver essas questões começaram em março, de acordo com a denúncia, quando o presidente do sindicato, Matthew Kaplan, procurou Brueggemann, o vice-diretor.

Brueggemann respondeu concisamente em 6 de abril, afirma a reclamação, recusando-se a comunicar-se com a Kaplan sobre as atuais condições de trabalho e, em vez disso, direcionando Kaplan para discutir o assunto com a divisão de recursos humanos do departamento.

Os advogados do sindicato intervieram pouco mais de uma semana depois, quando enviaram a Brueggemann uma carta exigindo um plano de ação e uma reunião para discutir as questões de segurança do COVID-19.

O vice-diretor nunca respondeu, afirma a denúncia.

Se, e quando, um policial inevitavelmente adoece por causa de proteção inadequada e a falha de negociação do Departamento de Segurança Pública de Nevada, não há protocolo para lidar com a exposição, afirma a reclamação.

A área deve responder à reclamação até o dia 14 de maio, de acordo com a Diretoria de Relações Empregados-Gestores.

Entre em contato com a Rio Lacanlale pelo telefone 702-383-0381. Seguir @riolacanlale no Twitter.