Papa Francisco fazendo a maioria dos discursos em espanhol durante viagem aos EUA

O Papa Francisco chega para uma reunião com diretores, funcionários do banco de Crédito Cooperativo de Roma e suas famílias no Vaticano em 12 de setembro de 2015. (Reuters / Osservatore Romano)Papa Francisco chega para um encontro com diretores, funcionários do banco Cooperativo de Crédito de Roma e suas famílias no Vaticano em 12 de setembro de 2015. REUTERS / Osservatore Romano ATENÇÃO EDITORES - ESTA IMAGEM FOI FORNECIDA POR UM TERCEIRO. A REUTERS NÃO PODE VERIFICAR INDEPENDENTEMENTE A AUTENTICIDADE, CONTEÚDO, LOCALIZAÇÃO OU DATA DESTA IMAGEM. É DISTRIBUÍDO EXATAMENTE COMO RECEBIDO PELA REUTERS, COMO UM SERVIÇO AOS CLIENTES. SOMENTE PARA USO EDITORIAL. NÃO PARA VENDA PARA CAMPANHAS DE MARKETING OU PUBLICIDADE. SEM VENDAS. O Papa Francisco acena os fiéis durante sua oração dominical do Angelus na Praça de São Pedro no Vaticano, 13 de setembro de 2015. REUTERS / Giampiero Sposito

CIDADE DO VATICANO - O Papa Francisco fará apenas quatro dos 18 discursos que fará durante sua próxima visita aos Estados Unidos em inglês e o restante em seu espanhol nativo, disse o Vaticano na terça-feira.



O papa argentino de 78 anos vinha praticando seu inglês durante o verão e esperava-se que fizesse mais discursos e homilias em inglês.



Mas o porta-voz padre Federico Lombardi disse aos repórteres que Francis ainda se sentia mais confortável falando espanhol.



Questionado se havia algum simbolismo no fato de Francisco ter escolhido fazer tantos discursos em espanhol, a segunda língua mais usada nos Estados Unidos, Lombardi disse:

Não acho que seja essa a intenção ... Ele se sente mais confortável (com o espanhol). O verdadeiro motivo é a facilidade de expressão e que terá que fazer menos esforço.



O papa usou o inglês para alguns endereços durante uma viagem ao Sri Lanka e às Filipinas em janeiro, mas teve problemas com sua pronúncia. Nessa viagem, improvisou em espanhol enquanto um assessor traduzia para o inglês.

O papa parte neste sábado para Cuba, onde passará quatro dias antes de chegar a Washington no dia 22 de setembro.